FERNANDO MIGUEL SANTOS

Arquivos

Quando se trabalha nos Cuidados Intensivos, a morte é uma presença constante. Felizmente, a maioria das vezes conseguimos escapar-lhe, salvando os nossos doentes de um fim trágico. Noutros casos, é ela que leva a melhor. Todos desejamos que a morte seja limpa, sossegada, acompanhada. É assim que gostamos de a imaginar para nós e para os nossos. Embora tentemos fugir dela e enganá-la sabemos que mais cedo ou mais tarde teremos de… Ler Mais

Por si só, a tradição de beijar a cruz já é um atentado à saúde pública. O argumento de que a imagem que circula de boca em boca é desinfectada não serve. O dispositivo de desinfecção, seja ele qual for, não é mudado do início ao fim da actividade, não sabemos ao certo que produto é usado, não sabemos como estão as mãos de quem o transporta… E, por favor, não venham… Ler Mais

É difícil ser positivo quando tudo o que nos rodeia é um mundo transformado e uma escuridão que desconhecíamos. A impotência de não poder salvar toda a gente, de ver a forma negativa como evoluem alguns doentes, de não poder viver como antes…. Manter a força para continuar pode ser duro, mas temos de abrir os olhos para procurar aquilo que estamos a fazer bem, para as aprendizagens às quais estamos a… Ler Mais

Hoje, mais do que nunca, gostava que fosse tudo mentira, que tudo não passasse de uma partida típica deste dia. Esta pandemia roubou-nos as coisas mais simples, provavelmente as mais valiosas que tínhamos. Não foi apenas a mim que o fez, foi a todos. A mim, levou-me a vida que tinha até há um mês atrás, a quietude, as inquietações corriqueiras… Mais do que isso, levou-me um amigo. Muito embora a nossa… Ler Mais

Pensei que a participação em dois programas da SIC iria facilitar as coisas. Ajudaria mais gente com mais exposição daquilo que se está a passar no país onde desempenho a minha profissão e onde há mais recursos financeiros e humanos do que em Portugal. Contudo, não foi só isso que aconteceu. Em alguns plataformas de redes sociais começaram a surgir as críticas.  Estava preparado para que alguém me dissesse que o meu… Ler Mais

Agora pouco importam as estatísticas, as análises, as origens da pandemia, as análises sistemáticas. Deixemos isso para quem faz ciência, para quem tem o objectivo de tirar as conclusões devidas desta inusitada e revoltante situação.  Agora é tempo de agir. Tratar aqueles que precisam, tentar minimizar o impacto comunitário da pandemia, tentar que o Mundo possa ser de novo aquilo que gostamos o mais cedo possível… Será pedir muito que se gaste… Ler Mais